feminefisioterapia

     A gestação é um período de intensas e rápidas mudanças na vida do casal e principalmente da mulher, em que surgem muitas dúvidas e afloram medos e inseguranças. Por essas razões, a troca de experiências entre casais que estão vivendo a gestação, em diferentes fases, assim como o aconselhamento de profissionais sobre esse período torna-se uma ferramenta bastante importante.

     O esclarecimento de dúvidas e preocupações sobre a gestação, parto e amamentação busca desenvolver a segurança no casal em relação à maternidade e paternidade. A participação do pai nesse processo visa fortalecer o vínculo entre o casal para que ambos compartilhem o cuidado com bebê assim como as dúvidas, medos e responsabilidades inerentes dessa fase da vida.

     Portanto, o processo educativo realizado durante a gestação auxilia pais e mães a se sentirem mais preparados para lidar com as possíveis dificuldades de todo esse novo momento em suas vidas. Além disso, torna-os aptos a tomar as próprias decisões sobre os cuidados com o bebê assim como sobre a amamentação, aumentando a probabilidade de amamentação exclusiva durante os seis primeiros meses de vida.

O contato pele a pele é feito logo após o parto, quando o bebê e a mãe estiverem estáveis. É a primeira troca de carinho entre mãe e filho! Todos os bebês e mães estáveis se beneficiam com este contato pele a pele imediatamente após o parto.  Os bebês que não estejam estáveis imediatamente após o parto podem ter o contato pele a pele mais tarde, quando estiverem estáveis. Este contato pode ser feito também pelo pai do bebê.

Quais os benefícios desse contato precoce da mãe com o seu bebê?

– Acalma a mãe e o bebê e ajuda a estabilizar os batimentos cardíacos e a respiração do bebê.

– Mantém o bebê aquecido com o calor do corpo da mãe. O bebê e a mãe devem ser cobertos por um mesmo manto.

– Auxilia a adaptação metabólica e a estabilização da glicose sanguínea do bebê.

– Reduz o choro do lactente, reduzindo assim o estresse e o uso de energia.

– Facilita o estreitamento dos vínculos afetivos entre mãe e bebê, uma vez que ele fica alerta nas primeiras horas. Após duas ou três horas, é comum que os bebês durmam por longo período.

– Permite que o bebê encontre a mama e a pegue sozinho, o que tem maior probabilidade de resultar em sucção efetiva do que quando o bebê é separado de sua mãe nas primeiras horas de vida.

Fale com seu médico sobre essa possibilidade, caso seja sua vontade!!

 

 

 

Fonte:

Fundo das Nações Unidas para a Infância.
Iniciativa Hospital Amigo da Criança : revista, atualizada e ampliada para o cuidado integrado : módulo 3. Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2009.

 

As mulheres questionam-se sobre isso com muita frequência. Por mais que o inverno esteja se aproximando, os cuidados da estação do calor devem continuar! Alimentação saudável, exercício físico, evitar roupas justas e claro… um tratamento estético sempre vai bem quando o assunto é esse.

Nós, mulheres, somos portadoras de um hormônio poderoso, o estrogênio. Ele é o responsável por muitas funções importantes do nosso organismo. Ele influencia também as formas femininas, fazendo com que os acúmulos adiposos sejam, em maior quantidade, em glúteos e coxas.  Mulheres que apresentam quadris mais largos são chamadas de ginóides, por apresentarem uma maior taxa de hormônio feminino (estrogênio), e, por consequência, são essas que sofrem mais com o depósito de gordura nessa região.

Gordura X Celulite

Cada indivíduo tem um número “X” de células de gordura (adipócitos), que incham e acumulam gordura quando engordamos e murcham quando emagrecemos. Essas células não somem, não rompem, não se degradam, a menos que você tenha feito uma cirurgia plástica ou um procedimento chamado ultracavitação!

Quando os adipócitos encontram-se muito cheios, eles acabam por prejudicar a circulação local. A região atingida não consegue receber os nutrientes dos capilares, expelir os restos metabólicos via sistema venoso e muito menos fazer a drenagem linfática fisiológica por si só, pois os linfáticos são muito mais frágeis que os capilares arteriais e venosos.

A celulite forma-se a partir de todo esse colapso circulatório. O organismo começa a acumular toxinas, água, lipídeos no espaço entre as células e a substância fundamental amorfa (em que as células estão inseridas) se geleifica e fibrosa, tracionando a pele e fazendo os famosos furinhos.

 

Mas como as mulheres magras têm celulite também?

O problema da celulite está no déficit circulatório. Meninas magras também tem estrogênio na corrente sanguínea, o que resulta em acúmulo de gordura na região das pernas. Além disso, qualquer coisa que prejudique a circulação como o uso de roupa muito apertada, dieta hipercalórica com muito sódio e o sedentarismo influenciam na retenção hídrica e na formação da celulite.

Os tratamentos para celulite são muitos. Cabe ao terapeuta responsável, após uma avaliação minuciosa, decidir qual é o mais indicado.

Mas lembre-se que além do tratamento estético você precisa ter bons hábitos!

O DMAE pode ser considerado um ativo cosmético relativamente novo no mercado, mas com certeza este nome já deve ter atingido o ouvido das mulheres mais antenadas em cosméticos faciais. Hidratantes que contenham DMAE garantem rejuvenescimento, efeito lifting, atenuação de rugas, melhora da flacidez, etc. Em alimentos, ele é encontrado em sardinhas, salmão e anchovas, demonstrando a boa qualidade desses peixes.

Se ouve falar muito, mas será que funciona mesmo?

Sim! A seguir vamos explicar direitinho o que pode acontecer quando você aplica um hidratante que contém DMAE.

O nosso organismo apresenta inúmeros neurotransmissores, que são substâncias importantes para transmitir um impulso nervoso e gerar uma ação, como por exemplo, uma contração muscular, a cicatrização de uma ferida, a liberação de um hormônio. No caso do DMAE, ele é o precursor do Neurotransmissor Acetilcolina.

Muitas pessoas relacionam o efeito lifting do DMAE com ação sobre os músculos, pois a acetilcolina estimula a contração muscular dos músculos faciais. No entanto, a ação dermatológica se baseia em outros componentes da pele, tais como os queratinócitos, melanócitos, fibroblastos dérmicos e células endoteliais.

O modo de ação do DMAE na pele vem sendo uma questão a ser resolvida ainda. O que se sabe é que na pele existem enzimas que aceleram a reação de formação da acetilcolina, bem como receptores (locais de ligação) para a acetilcolina. Uma vez aplicado o DMAE e garantida a sua penetração, ocorre um aumento da concentração de colina (precursora da acetilcolina) na pele. No entanto, não existem dados que mostrem o aumento dos níveis de acetilcolina na pele após aplicação tópica de DMAE.

A maioria dos estudos apenas mostra os efeitos subjetivos da aplicação de DMAE, como melhora na aparência de linhas na testa, rugas finas na área dos olhos, melhora na espessura labial e forma do lábio. Mas, já constatou-se através de exame de ressonância que existe um aumento na firmeza da pele após o uso com diminuíção da distensibilidade. Percebe-se também um aumento da hidratação cutânea, mas essa hidratação pode ser conferida por outros cosmecêuticos, levando em conta que o DMAE tem propriedades ainda maiores que apenas hidratação.

O que mais existem são algumas hipóteses. A ação anti-radicais livres e precursora de substâncias da membrana celular garantiria a proteção e estabilização da célula. Em busca de descobrir a ação no interior da pele, métodos imuno-histoquímicos mostraram que a acetilcolina pode ser sintetizada, armazenada, secretada e metabolizada por queratinócitos epidérmicos humanos, levando a ações sobre o crescimento e diferenciação das células epiteliais. Uma característica observada em peles tratadas por DMAE é a suavidade ao toque, que acontece devido a ativação de filigrinas que deixam as células epidérmicas mais coesas e umectadas. Mais profundamente, nos fibroblastos (células que produzem colágeno) os receptores para a acetilcolina também estão presentes, bem como as enzimas nos vasos dérmicos. Resta saber se o DMAE chega até os fibroblastos e o que ocorre.

Eficácia e segurança, do uso tópico de DMAE, são garantidas. Não há incidência de eritema, descamação, ressecamento. coceira, queimação ou ardência. Além disso, os efeitos são duradouros por pelo menos 2 semanas após interrupção. Devido às suas múltiplas ações, o DMAE é muito útil quando combinado a tratamentos da pele envelhecida.

Como quase todo término de artigo científico… mais estudos são necessários!!!

GROSSMAN R. The Role of Dimethylaminoethanol in Cosmetic Dermatology. AmErican Journal of Clinical Dermotcri 2005.

 

  • Ter um acompanhante durante o parto, que pode ajudá-la a ficar mais confortável e ter maior controle.
  • Deixar o bebê em contato pele a pele com você imediatamente após o nascimento, isso o manterá aquecido e favorecerá o início precoce da amamentação.
  • Manter o bebê ao seu lado (alojamento conjunto no mesmo quarto ou leito), para que seja fácil e seguro alimentá-lo.
  • Aprender os sinais de fome do bebê, para que a alimentação seja conduzida pelo bebê e não simplesmente siga um horário fixo.
  • Amamentar com frequência, o que favorece a produção de leite.
  • Amamentação exclusiva sem suplementos, mamadeiras ou bicos artificiais.
  • É importante aprender o posicionamento e a pega corretos para o aleitamento.

 

Existem inúmeros benefícios do aleitamento materno, tanto para a mãe, quanto para a criança. Já está devidamente comprovada, por estudos científicos, a superioridade do leite maternosobre os leites de outras espécies. São vários os argumentos em favor do aleitamento materno.

Vantagens do aleitamento materno para a mãe:

  • facilita o estabelecimento do vínculo afetivo mãe-filho;
  • previne as complicações hemorrágicas no pós-parto e favorece a regressão uterina ao seu tamanho normal;
  • contribui para o retorno mais rápido ao peso pré-gestacional;
  • é um método natural de planejamento familiar, entretanto somente antes de seis meses, quando a criança está em aleitamento materno exclusivo, em livre demanda, inclusive durante a noite, e que a mãe não tenha ainda menstruado;
  • pode reduzir o risco de câncer de ovário e mama; e
  • pode prevenir a osteoporose.

Vantagens do aleitamento materno para o bebê:

  • é o alimento completo para o lactente menor de seis meses, tanto no aspecto nutricional, como digestivo. Por ser da mesma espécie, o leite materno contém todos os nutrientes essenciais para o crescimento e o desenvolvimento ótimos da criança pequena, além de ser mais bem digerido, quando comparado com leites de outras espécies.
  • facilita a eliminação de mecônio e diminui o risco de icterícia;
  • protege contra infecções (especialmente diarréia, infecções respiratórias e otite), pela ausência do risco de contaminação e pela presença de anticorpos e de fatores anti-infecciosos;
  • aumenta o laço afetivo mãe-filho, promovendo mais segurança ao bebê.
  • colabora efetivamente para diminuir a taxa de desnutrição proteico-calórica e, conseqüentemente, para a diminuição dos índices de mortalidade infantil;
  • diminui a probabilidade do desencadeamento de processos alérgicos, pelo retardo da introdução de proteínas heterólogas existentes no leite de vaca;
  • melhora a resposta às vacinações e a capacidade de combater doenças mais rapidamente;
  • diminui o risco de hipertensão, colesterol alto e diabetes;
  • reduz as chances de obesidade.

Além disso, o leite materno o não custa nada, é limpo e não contém micróbios, já vem pronto e está na temperatura certa. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam aleitamento materno exclusivo por seis meses e complementado até os dois anos ou mais.

Amamentar é um ato de amor e doação. Requer aprendizado e paciência. Quando feito corretamente, não deve causar dor ou desconforto para a mãe. Caso isso ocorra, procure ajuda.

Fontes:

Ministério da Saúde. Saúde da Criança: nutrição infantil. Aleitamento Materno e Alimentação Complementar. 2009.

Ministério da Saúde. Parto, Aborto e Puerpério. Assistência Humanizada à Mulher. 2001

%d blogueiros gostam disto: