feminefisioterapia

Archive for março 2011

Se você é mãe de primeira viagem o início da amamentação deve ser motivo de ansiedade. Saiba que quanto mais cedo você conseguir amamentar seu filho melhor! Se for na primeira hora após o parto, ótimo! Não se preocupe se seu filho não fazer a sucção antes de 45 minutos a 2 horas após o parto, isso é normal, mas dê importância para o contato pele a pele imediatamente após o parto. O contato precoce entre você e o seu bebê está associado com maior duração da amamentação, melhor interação mãe-bebê, melhor controle da temperatura do recém-nascido, níveis mais altos de glicose e menos choro. Além disso, a sucção precoce pode reduzir o risco de hemorragia na mãe e de icterícia no bebê.

O colostro é o primeiro leite que será sugado pelo seu bebê. Ele é um líquido ligeiramente amarelado e constitui o alimento mais perfeito para o recém-nascido, nos seus primeiros dias, pois contém nutrientes valiosos, cuja composição se torna facilmente assimilável pelo sistema digestivo ainda imaturo. Fornece grande quantidade de elementos imunizadores e apresenta efeito laxante para que o bebê elimine o mecônio, de consistência espessa e cor verde-escura, acumulado em seu intestino antes de nascer.

A “descida do leite” vai ocorrer poucos dias após o parto. Você irá perceber certa congestão nas suas mamas e sentirá turgência, dolorimento e hipertermia. A duração aproximada é de 48 horas, tempo necessário para se estabelecer o equilíbrio entre a quantidade de alimento e as necessidades do recém-nascido.

A própria sucção da mama pelo bebê é responsável pelo fluxo de leite. Quando a criança suga, a produção de leite é estimulada, ou seja, quanto mais a criança sugar, mais leite será produzido. Além disso, a quantidade e qualidade do leite dependem da disponibilidade do hormônio tireoideano, da insulina e do cortisol, junto com um aporte alimentar de princípios nutritivos e de líquidos.

Dê o peito ao sei bebê sob livre demanda. Um recém-nascido mama com freqüência e sem regularidade de horários. O tempo de permanência na mama em cada mamada também não deve ser estabelecido, o bebê deve esvaziar a mama, pois o leite do final da mamada contém mais calorias e sacia a criança.

Você já deve ter ouvido falar em preparar as mamas durante a gestação.  Uma vez isso era recomendado através da manipulação da aréola e mamilo, bem como pela passagem da toalha sobre a mama para formar um ”calo” e prevenir as fissuras. No entanto, as últimas pesquisas referem que a preparação física das mamas para a lactação não tem se mostrado benéfica e assim, ela não tem sido recomendada na maioria dos serviços. Além disso, a manipulação excessiva pode estimular a contratilidade uterina.

Futuras mamães que apresentam mamilo plano ou invertido não precisam se preocupar! A intervenção logo após o nascimento do bebê é mais importante e efetiva do que a intervenção pré-natal.

Os chamados Exercícios de Hoffman consistem em posicionar o polegar e o dedo indicador em lados opostos da base do mamilo e apertar para dentro e puxar suavemente para fora. Traciona-se a pele da aréola, puxando-a para os lados e, depois, para cima e para baixo.

Pode-se realizar ainda a tração manual ou a tração com seringa.

O uso de formadores de mamilo também pode ajudar a prolongar o mamilo.

 

Dica!

Se você já tem uma fissura  instalada, não fique se preocupando em lavar excessivamente a aréola e o mamilo. Assim como a pele do rosto, o sabonete faz com que a pele do mamilo perda sua acidez proveniente da secreção das glândulas sebáceas e sudoríparas que é responsável pela proteção natural da pele contra microorganismos. Além disso, passe o leite materno sobre a mama, você mesma sabe que ele tem muitas propriedades. A exposição das mamas ao sol, em horários adequados, é benéfica pela função bactericida da radiação ultravioleta. Em caso de não resolução das fissuras procure seu médico, ás vezes é necessária intervenção farmacológica.

Amamente!

A Organização Mundial de Saúde recomenda amamentação exclusiva por 4-6 meses e complementada até dois anos ou mais.

À medida que a gravidez avança, sua postura se altera podendo causar dor lombar. O aumento de peso, tamanho e carga que você leva na frente de seu corpo contribuem para causar sobrecarga nessa região.

Manter uma boa postura ao longo de seu dia-a-dia é crucial para proteger sua coluna antes, durante e depois da gravidez. Por isso, listamos algumas dicas que podem ajudar você a manter sua postura.

  • Ao caminhar, use calçados confortáveis e evite saltos altos, pois podem desequilibrá-la.
  • Se precisar ficar em pé por muito tempo, levante as pontas dos pés e dê passos sem sair do lugar para estimular a circulação.
  • Ao sentar-se, garanta que suas costas estão bem apoiadas, se necessário use uma almofada na parte inferior da coluna. Coloque seus pés apoiados no chão. Evite cruzar as pernas e mantenha a parte posterior dos joelhos levemente afastada da cadeira para evitar a má circulação.

Esperar o seu bebê é um momento mágico e único em sua vida, por isso não negligencie sua própria saúde. Cuide-se para que seu corpo tenha energia e capacidade para lidar com as demandas da gestação e futuramente com as de seu bebê.

Uma vez formados, nossos ossos estão sempre em processo de formação de novas células e reabsorção de células velhas. Desde a infância até os 30 anos de idade, o processo de formação de novas células supera o de reabsorção e nossos ossos se tornam mais densos (maior densidade mineral óssea). Após os 30 anos, esse processo começa a se inverter: a reabsorção se torna mais rápida que a reconstituição. Este processo continua para o resto de nossas vidas.

Uma leve perda de massa óssea é normal em homens e mulheres depois dos 35 anos e normalmente não causa qualquer problema. No entanto, se essa perda ocorrer muito rapidamente, pode resultar em osteoporose. A osteoporose torna os ossos finos e fracos, o que pode resultar em fraturas e até mesmo incapacitação dependendo da idade.

Para prevenir a osteoporose você deve se concentrar em aumentar e manter uma boa quantidade de massa mineral óssea antes da menopausa. Como? Uma das maneiras é através de exercícios físicos. Os melhores são os exercícios de musculação que, ao fortalecerem os músculos, fortalecem também os ossos, pois diminuem a perda mineral óssea.

Mulheres que se exercitam tem maior densidade mineral óssea que mulheres que não se exercitam. Caminhadas ao ar livre e exercícios aeróbicos também contribuem para o aumento da massa óssea.  

http://www.acog.org

Conceitua-se como diabetes mellitus gestacional (DMG) o quadro de intolerância glicêmica variável diagnosticado pela primeira vez durante a gravidez.  A DMG aumenta o risco objetivo de complicações clínicas e obstétricas. As manifestações clínicas mais importantes são: bebê grande (peso acima de 4kg), morte intra-útero e os graves distúrbios metabólicos do recém-nascido (hipoglicemia, hipocalcemia e hipomagnesemia).

Os programas de exercícios supervisionados por fisioterapeutas parecem ser eficazes na melhora dos níveis glicêmicos. A indicação do exercício para a gestante de baixo risco já foi motivo de controvérsias, amenizadas atualmente pelo último parecer do American College of Obstetrics and Gynecologists (ACOG). Respaldado em inúmeras pesquisas realizadas nos últimos quarenta anos, a ACOG definiu importantes parâmetros de segurança para a realização dos mesmos:

  • as gestantes devem exercitar-se em uma faixa entre uma faixa entre 65% e 75% da freqüência cardíaca máxima;
  • os exercícios realizados primordialmente com os membros superiores desencadeiam menor número de contrações uterinas do que aqueles realizados com os membros inferiores. Entretanto, caminhadas e bicicleta ergométrica não evidenciaram risco obstétrico e são opções a serem consideradas;
  • interromper os exercícios se ocorrer: sangramento vaginal, falta de ar antes do esforço, dor de cabeça, dor no peito, fadiga muscular, contrações uterinas rítmicas (mais de três contrações em 10 minutos), trabalho de parto, diminuição dos movimentos fetais, perda de líquido amniótico e sintomas de hipoglicemia, como náuseas e tonturas.

Orientações importantes

  • O acompanhamento pré-natal por uma equipe multiprofissional é essencial.
  • As gestantes diabéticas devem a manter uma vida ativa.
  • A orientação dietética é muito importante, bem como a hidratação adequada durante o exercício.

Fonte: Baracho, 2007 (adoramos ela!)

As caminhadas são benéficas, desde que realizadas corretamente, em terrenos planos. Devem ser praticadas com movimentos harmônicos, mantendo os músculos do abdômen levemente contraídos, posicionando os membros para trás, a cabeça erguida em posição neutra. Também é imprescindível o uso de tênis adequados, exigindo o máximo de conforto. Também é muito importante não esquecer a garrafinha d’água, o filtro solar e as viseiras ou bonés, que impedirão o agravamento de manchas (cloasma) que surgem durante a gravidez.

No início, as caminhadas poderão ser feitas três vezes por semana, com duração aproximada de 30 a 45 minutos, passos ligeiros e cautelosos. Após 1 mês de atividade física segura e relativamente livre de lesões. Previne o excesso de peso corporal, levando a um bem estar geral.

Todas as orientações postadas aqui devem ser seguidas!

 

Como a Fisioterapia pode ajudar você a se livrar da Incontinência Urinária?

Através de exercícios de fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico. O objetivo desses exercícios é melhorar a força e resistência desses músculos, aumentando assim a força de fechamento da uretra e melhorando o controle esfincteriano, o que impede a perda de urina.

Como o enfraquecimento dos músculos e ligamentos da pelve ao longo da vida é responsável pela causa da incontinência urinária, os exercícios para o fortalecimento dos músculos do assoalho pélvico desempenham um importante papel não só no tratamento, mas também na prevenção da incontinência urinária.

Assim, a fisioterapia contribui para a melhora na qualidade de vida dessas mulheres, pois a incontinência causa medo de estar em público além de dificuldades sociais e alterações do sono. Os exercícios são simples e de fácil aprendizado, mas devem ser feitos com a supervisão de um profissional capacitado.

O mais importante é que a incontinência urinária tem tratamento. Portanto, procure ajuda se você já teve ou tem episódios desagradáveis de perda de urina ou se conhece alguém que sofre com esse desconforto. Livre-se desse problema, pois ele tem solução!!


%d blogueiros gostam disto: