feminefisioterapia

Amamentação X Fissuras Mamilares

Posted on: 05/05/2011

Primeiramente é importante você saber a estrutura do mamilo. O mamilo é uma condensação de tecido epitelial (componente da pele superficial) através do qual os ductos lactíferos seguem até os orifícios na superfície. É circundado por pele pigmentada especializada, a aréola, que contém glândulas sudoríparas e glândulas sebáceas (glândulas de Montgomery) que se hipertrofiam durante a gravidez e servem para lubrificar e proteger o mamilo durante a lactação.     

A fissura mamilar é a ruptura do tecido epitelial que cobre o mamilo, que pode impedir a lactação e levar à infecção mamária. Nesses casos, a mãe apresenta dor e isso inibe o reflexo da descida do leite. A fissura mamilar aparece frequentemente nas primeiras semanas após o parto e isso pode ser um motivo para o desmame precoce, pois tende a levar a mãe a uma série de desconfortos que desestimula a continuidade do aleitamento materno.

Quais são os principais motivos?

Muitos autores apontam o mau posicionamento e uma pega inadequada como as principais causas do aparecimento de fissuras mamilares.

 

Como prevenir?

  • Não se preocupe com o preparo das mamas antes do parto. Ele não tem se mostrado benéfico e não tem sido recomendado de rotina.
  • A exposição das mamas ao sol é indicada também como fator preventivo, pois estimula uma hiperqueratose, ou seja, uma proliferação de células epiteliais que deixam a pele do mamilo mais espessa.
  • Não fique se preocupando em lavar excessivamente a aréola e o mamilo. Assim como a pele do rosto, o sabonete faz com que a pele do mamilo perda sua acidez proveniente da secreção das glândulas sebáceas e sudoríparas que é responsável pela proteção natural da pele contra microorganismos.
  • Evite o uso de cremes e loções hidratantes sobre a aréola e mamilo, porque eles interferem com a lubrificação natural da secreção das glândulas de Montgomery.
  • Beba água.
  • Use a posição correta ao colocar o bebê em seu seio.
  • Estimule o reflexo da ejeção antes do contato do bebê com a mama, através de massagem.
  • Antes de retirar seu filho do peito, interrompa a sucção colocando seu dedo mínimo na boca de seu bebê.
  • Após a mamada deixe o leite sobre a aréola e o mamilo e permita secar ao ar.
  • Amamente em livre demanda.
  • Esvazie toda a mama, mesmo que para isso seja necessária a realização da ordenha.

 

Depois da fissura já instalada o que fazer?

  • Corrija a pega e mantenha a amamentação.
  • Inicie a mamada pelo seio menos lesado, para minimizar o impacto da força de sucção do bebê faminto.
  • Aplique leite materno nas lesões após as mamadas.
  • Mantenha a amamentação em intervalos menores e de curta duração.
  • Mantenha as mamas esvaziadas.
  • Varie a posição da mamada.
  • Busque a tranquilidade.
  • Exponha as mamas ao sol (início da manhã ou fim da tarde), por dez minutos. A radiação ultravioleta tem propriedades bactericidas.
  • Se a fissura for muito extensa, suspenda a sucção direta por um período de 24 a 48 horas e realize a ordenha da mama, dando o leite ao seu bebê em colherinha, conta-gotas ou seringa.

 

Em caso de não resolução das fissuras procure seu médico,

ás vezes é necessária intervenção farmacológica.

1 Response to "Amamentação X Fissuras Mamilares"

[…] disso, as crianças amamentadas ao peito tendem a não desenvolver hábitos bucais incorretos, como chupar o dedo, chupetas ou […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: