feminefisioterapia

Terapias Complementares em Oncologia

Posted on: 13/09/2011

Muitos pacientes beneficiam-se da aplicação de massagens para prevenção de fibroses e aderências cicatriciais, assim como de drenagem linfática manual, de enfaixamento compressivo e dos exercícios linfocinéticos para a prevenção e tratamento de linfedemas. Nos casos de linfedema, a fisioterapia também esclarece os pacientes sobre os fatores que podem causar linfedema e os cuidados com a pele.

A adequação da massagem para o paciente com câncer depende de diversos aspectos, incluindo o tipo de câncer, se está ativo ou em remissão ou se é terminal. Também devem ser considerados os tipos de movimento de massagem a ser executado, o objetivo e a extensão da aplicação, local ou sistêmica.

A massagem é aplicada para aliviar a percepção da dor, reduzir a ansiedade e aumentar o relaxamento. Porém, devem ser tomados alguns cuidados, pois o paciente com câncer pode apresentar trombocitopenia, redução no número de plaquetas, após o tratamento com quimioterapia e radioterapia. Tal condição torna os tecidos muito sensíveis e, assim, os movimentos pesados de massagem devem ser omitidos. Nestes casos, a massagem é limitada a uma ou duas regiões do corpo – por exemplo, nas mãos, no rosto e nos ombros ou pés para efeito de relaxamento e de forma muito leve.

Como ocorre com outros problemas, a massagem tem suas limitações e contra-indicações. Ela não deve ser aplicada diretamente sobre um tumor ou região próxima a ele ou sobre gânglios linfáticos a ele conectados. As áreas que recebem radioterapia tornam-se muito sensíveis ao toque e aos movimentos na pele e, portanto, a massagem nessas regiões pode causar desconforto. Assim, as áreas que passaram por radiação recentemente, não recebem massagem. Outra razão é a pele irradiada tornar-se muito frágil e propensa a sofrer danos com a massagem. As áreas de tratamento também não devem receber óleos e loções, que podem interferir com a radiação.

Um efeito muito significativo da massagem é o apoio emocional que ela oferece ao paciente, seja efetuada no corpo inteiro seja em uma região pequena, como a mão. As pesquisas clínicas indicam que o toque é extremamente importante no processo de cura, já que invariavelmente cria uma sensação de carinho e bem-estar no paciente. O apoio emocional para a pessoa com câncer tem um valor inestimável, desde o início da condição.

Desde que não existam contra-indicações, a massagem pode ser aplicada com cuidado no período de tratamento e depois deste ou quando se iniciam os cuidados paliativos. Ela é usada para aliviar alguns dos sintomas tais como fadiga e dor, e para dar continuidade ao apoio emocional.

Esta abordagem aos pacientes com câncer também é utilizada com sucesso pelo Instituto Paulista de Cancerologia.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: