feminefisioterapia

Archive for junho 2012

     A gestação é um período de intensas e rápidas mudanças na vida do casal e principalmente da mulher, em que surgem muitas dúvidas e afloram medos e inseguranças. Por essas razões, a troca de experiências entre casais que estão vivendo a gestação, em diferentes fases, assim como o aconselhamento de profissionais sobre esse período torna-se uma ferramenta bastante importante.

     O esclarecimento de dúvidas e preocupações sobre a gestação, parto e amamentação busca desenvolver a segurança no casal em relação à maternidade e paternidade. A participação do pai nesse processo visa fortalecer o vínculo entre o casal para que ambos compartilhem o cuidado com bebê assim como as dúvidas, medos e responsabilidades inerentes dessa fase da vida.

     Portanto, o processo educativo realizado durante a gestação auxilia pais e mães a se sentirem mais preparados para lidar com as possíveis dificuldades de todo esse novo momento em suas vidas. Além disso, torna-os aptos a tomar as próprias decisões sobre os cuidados com o bebê assim como sobre a amamentação, aumentando a probabilidade de amamentação exclusiva durante os seis primeiros meses de vida.

O contato pele a pele é feito logo após o parto, quando o bebê e a mãe estiverem estáveis. É a primeira troca de carinho entre mãe e filho! Todos os bebês e mães estáveis se beneficiam com este contato pele a pele imediatamente após o parto.  Os bebês que não estejam estáveis imediatamente após o parto podem ter o contato pele a pele mais tarde, quando estiverem estáveis. Este contato pode ser feito também pelo pai do bebê.

Quais os benefícios desse contato precoce da mãe com o seu bebê?

– Acalma a mãe e o bebê e ajuda a estabilizar os batimentos cardíacos e a respiração do bebê.

– Mantém o bebê aquecido com o calor do corpo da mãe. O bebê e a mãe devem ser cobertos por um mesmo manto.

– Auxilia a adaptação metabólica e a estabilização da glicose sanguínea do bebê.

– Reduz o choro do lactente, reduzindo assim o estresse e o uso de energia.

– Facilita o estreitamento dos vínculos afetivos entre mãe e bebê, uma vez que ele fica alerta nas primeiras horas. Após duas ou três horas, é comum que os bebês durmam por longo período.

– Permite que o bebê encontre a mama e a pegue sozinho, o que tem maior probabilidade de resultar em sucção efetiva do que quando o bebê é separado de sua mãe nas primeiras horas de vida.

Fale com seu médico sobre essa possibilidade, caso seja sua vontade!!

 

 

 

Fonte:

Fundo das Nações Unidas para a Infância.
Iniciativa Hospital Amigo da Criança : revista, atualizada e ampliada para o cuidado integrado : módulo 3. Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2009.


%d blogueiros gostam disto: