feminefisioterapia

Posts Tagged ‘parto

O contato pele a pele é feito logo após o parto, quando o bebê e a mãe estiverem estáveis. É a primeira troca de carinho entre mãe e filho! Todos os bebês e mães estáveis se beneficiam com este contato pele a pele imediatamente após o parto.  Os bebês que não estejam estáveis imediatamente após o parto podem ter o contato pele a pele mais tarde, quando estiverem estáveis. Este contato pode ser feito também pelo pai do bebê.

Quais os benefícios desse contato precoce da mãe com o seu bebê?

– Acalma a mãe e o bebê e ajuda a estabilizar os batimentos cardíacos e a respiração do bebê.

– Mantém o bebê aquecido com o calor do corpo da mãe. O bebê e a mãe devem ser cobertos por um mesmo manto.

– Auxilia a adaptação metabólica e a estabilização da glicose sanguínea do bebê.

– Reduz o choro do lactente, reduzindo assim o estresse e o uso de energia.

– Facilita o estreitamento dos vínculos afetivos entre mãe e bebê, uma vez que ele fica alerta nas primeiras horas. Após duas ou três horas, é comum que os bebês durmam por longo período.

– Permite que o bebê encontre a mama e a pegue sozinho, o que tem maior probabilidade de resultar em sucção efetiva do que quando o bebê é separado de sua mãe nas primeiras horas de vida.

Fale com seu médico sobre essa possibilidade, caso seja sua vontade!!

 

 

 

Fonte:

Fundo das Nações Unidas para a Infância.
Iniciativa Hospital Amigo da Criança : revista, atualizada e ampliada para o cuidado integrado : módulo 3. Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2009.

Anúncios

Seguem dois vídeos que ilustram os últimos posts. Estes vídeos foram elaborados pelos site www.bebe.com.br com a colaboração de especialistas do Hospital Israelita Albert Einstein sobre os sinais do trabalho de parto e sobre o parto normal.

 

Durante a gestações ocorrem adaptações do organismo da mulher decorrentes das reações orgânicas à presença do bebê. Essas adaptações podem produzir sintomas, que mesmo fisiológicos podem, por vezes, causar alguns desconfortos.

Para um melhor entendimento de todo esse processo faremos uma série de posts para ajudar você a compreender melhor o porquê dessas modificações e como elas ocorrem.

A data provável do parto será, em média, 280 dias após o primeiro dia da última menstruação, ou seja, 40 semanas completas.

Mas por que 40 semanas e não 36, que corresponderiam aos nove meses de gestação? Porque duas semanas correspondem ao intervalo de tempo entre o início da menstruação e o período fértil; e mais duas semanas porque os meses não tem exatamente quatro semanas.

Outros métodos também são usados para calcular a provável data do parto:

  • aumento do volume uterino:  à medida que a gestação avança, o fundo uterino fica cada vez mais alto. Na primeira metade da gestação a mensuração do fundo do útero é um bom indicador para o cálculo da idade gestacional. Na segunda metade, as variações são maiores e os erros comuns;

  • ausculta fetal: o sonar-Doppler identifica o pulso fetal desde 10-12 semanas;
  • movimentos fetais: aproximadamente com 18 semanas de gravidez, as gestantes começam a perceber os movimentos fetais. Este é outro elemento clínico para o cálculo da idade, na ausência de informações sobe a última menstruação;
  • ultra-sonografica: como grande parte das gestantes não lembra exatamente quando foi a última menstruação, este exame permite estimar, com precisão a idade gestacional e a data provável do parto. No primeiro trimestre, a idade é avaliada através do comprimento cabeça-nádega do embrião. No segundo trimestre, a idade da gravidez é dada pela medida do diâmetro biparietal ou do comprimento do fêmur (da coxinha!)

São considerados bebê de termo aqueles que nascem entre 37 e 42 semanas de gestação . Bebês que nascem antes de 37 semanas são considerados  pré-termo (pré-maturos) e os que nascem com 42 semanas são pós-termo.

Fonte: Rezende e Montenegro, 2006.

    

     Toda mãe sofre de ansiedade pelo nascimento de seu filho. Saber identificar quando seu bebê está querendo nascer é muito importante, principalmente se ele está apressadinho e quer conhecer o mundo mais cedo.

     Cuide com quantas semanas de gestação você está. Se você passou das 37 semanas, o seu bebê já está pronto para nascer e ficar atenta ao início do trabalho de parto é importante para o nascimento dele. Antes das 37 semanas, a percepção de sinais e sintomas indicativos pode auxiliar na tentativa de manter sua gestação até o termo.

     Durante a gestação o útero não está inativo. Sua atividade é bastante reduzida, irregular e localizada, sem função expulsiva. Até as 30 semanas esta atividade uterina é muito pequena, por isso, quando há alguma espécie de contração uterina, esta é muito fraca e sentida ocasionalmente. Após as 30 semanas, a atividade uterina começa a aumentar. Nesse momento começam a ocorrer as chamadas contrações de Braxton Hicks. Algumas mães referem essas contrações como o endurecimento da barriga que não é acompanhado de dor. No decorrer da semana essas contrações vão ficando mais intensas e freqüentes. Além disso, elas se apresentam cada vez mais coordenadas e se difundem por áreas maiores.

 

Quais são os primeiros sinais de que seu bebê está querendo nascer?

 

Contrações

     O parto está associado ao desenvolvimento de contrações dolorosas e rítmicas que vão fazer com que ocorra a dilatação do colo uterino. As pequenas contrações tendem a desaparecer. Observe se suas contrações são muito intensas e ocorrem a partir do fundo uterino. Conte no relógio se elas duram um tempo mínimo de 25 segundos e se ocorrem em uma freqüência de duas e três a cada dez minutos.

 

Dilatação

     É o momento em que as bordas limítrofes ficam reduzidas apenas a relevos, aplicados a parede vaginal. Uma dilatação de 2 cm já se relaciona com o início do trabalho de parto.

 

Descida da barriga

     O fundo do útero no final de sua gestação está muito próximo do final do osso esterno, que é o osso que fica no meio do peito. O volume que seu bebê está ocupando acaba por dificultar inclusive a sua respiração. Quando a hora do nascimento está se aproximando os ligamentos que sustentam o útero contraem-se junto com ele, resultando em uma aproximação maior do útero com a pelve, ou seja, favorecendo a descida da barriga. O útero baixa de 2 a 4 cm. Você vai perceber isso visualmente e também na facilitação de sua respiração.

 

Dor na região lombar e no baixo ventre

     O movimento de seu bebê em direção a sua pelve pode resultar em dores lombares devido ao estiramento das articulações da pelve e as compressões sobre o sistema circulatório neste local.

 

Secreções vaginais

     Ocorre aumento na produção das secreções das glândulas do colo uterino, com eliminação de muco, por vezes mesclado por sangue. É este o chamado tampão mucoso que você pode identificar na calcinha.

 

Rotura da bolsa

     É a evasão parcial do conteúdo líquido em que seu bebê está inserido. Geralmente esse episódio ocorre no final do período de dilatação. No entanto, pode ocorrer precocemente ou no período expulsivo.

 

(REZENDE, 2005)

 

Ao perceber qualquer sinal e sintoma dessa natureza, procure seu médico para averiguar a situação!


%d blogueiros gostam disto: