feminefisioterapia

Posts Tagged ‘radiofrequência

O que você pode e deve fazer no verão

Limpeza de PeleIndicada para a maioria das pessoas para deixar a pele mais limpa, removendo o excesso de secreção e permitindo que a pele “respire” melhor. É a maneira correta de realizar a extração de microcomedões, comedões abertos (cravos) e fechados, bem como as pústulas de acne (espinhas), evitando a contaminação de outra região facial. Rosto, pescoço, colo e costas são as regiões de tratamento. Os milliuns (pontinhos amarelos que não tem característica de pústula) também são removidos de maneira asséptica. Juntamente com a limpeza de pele, se identificada oleosidade excessiva, faz-se o Desincruste, para remover o excesso de secreção sebácea.

Peeling Químico por GluconolactonaÚnico peeling químico que pode ser aplicado no verão, pois não tem restrições quanto à exposição solar e risco de manchar a pele. Indicado como auxiliar no tratamento de peles envelhecidas, desidratadas, manchadas e sensíveis.

Radiofrequência – Estimula a formação e reorganização do colágeno, tendo como efeito secundário o aumento da hidratação tecidual. Tratamento indicado para flacidez de pele e sulcos. Não necessita de cuidados extras com o sol.

Esfoliação e Hidratação – Indicado para retirar o excesso de células mortas, para posteriormente aplicar uma máscara composta de ativos hidratantes, umectantes, antioxidantes e tensores.

Ionização – Através de corrente elétrica, o procedimento favorece a penetração de princípios ativos anti-aging (anti-envelhecimento).

 

Anúncios

Para manter uma pele linda, sugerimos uma linha de tratamento que combina técnicas que propiciam resultados mais satisfatórios na suavização de manchas de pele e linhas de expressão. Este tratamento é feito em etapas e antes de iniciá-lo é fundamental uma avaliação rigorosa de sua pele.

Primeiro passo – limpeza de pele para remover impurezas e promover a limpeza dos poros.

Segundo passo – realização de sessões de radiofreqüência que promoverão o aumento na produção de fibras colágenas da pele e nutrição tecidual propiciando que sua pele reaja de uma maneira mais eficaz ao tratamento.

Terceiro passo aplicação do peeling químico, feito com ácidos especialmente escolhidos de acordo com o tipo de pele e as necessidades de cada cliente. O objetivo do peeling é promover renovação celular com suavização de manchas e linhas de expressão.

Quarto passo – Para finalizar, o último passo do tratamento é uma sessão de hidratação que potencializará todos os resultados obtidos.

               O aumento da temperatura começa a expor partes do corpo encobertas pelas pesadas roupas do inverno.  Os cuidados faciais continuam sendo importantes, mas o foco está agora em recuperar a forma física. Os tratamentos corporais não são apenas uma questão estética, mas uma questão de saúde. A indesejável “barriguinha” além de ficar evidente em certas roupas acaba por aumentar o risco de doenças cardiovasculares.

A seguir está o passo a passo para a redução de medidas:

 1° Avaliação

Uma minuciosa avaliação é realizada para reconhecimento de todas as variáveis interferentes e exames físicos apontarão para o melhor tratamento.

 2° Manthus

Aplicado no local da gordura localizada, este equipamento mobiliza a gordura do interior da célula adiposa para ser metabolizada e eliminada.

3° Corrente Russa, Ginástica Hipopressiva e Pilates

Após a mobilização da gordura pelo Manthus é necessário gastá-la para que ela não se deposite novamente. A fisioterapeuta verificará entre as opções que a clínica oferece o que mais se encaixa com você. A gordura localizada muitas vezes é também uma questão de fraqueza muscular e postura.

  4° Massagem Turbinada e Modeladora

A massagem realizada com cremes a base de ativos especiais para o aumento da circulação e para o estímulo a lipólise acaba por aumentar o metabolismo local, contribuindo para o resultado e modelando esta nova silhueta.

5° Drenagem Linfática

No final, a aceleração de metabolismo acaba por deixar toxinas que não fazem bem ao tecido recém tratado. A drenagem linfática manual acelera a eliminação destes restos metabólicos e deixa a região melhor oxigenada.

 6° Radiofrequência

Em programas de redução de medidas é necessário atentar para a pele que pode ficar flácida. Preventivamente, a radiofrequência já é aplicada, para que o tecido aumente a produção de colágeno e você fique com a pele firme.

Em outro post mostramos a técnica de Radiofrequência como sendo uma opção para o tratamento da flacidez de pele e da amenização de rugas e linhas de expressão através do estímulo sobre o tecido cutâneo à proliferação de novas fibras colágenas. Este procedimento é considerado inovador, pois não são necessários cuidados extras após o procedimento, o que não afeta o ritmo de vida da mulher moderna.

A aplicação da Radiofrequência nas disfunções dermatológicas ainda é muito recente. Seu uso foi liberado nos Estados Unidos apenas em 2002 pela US Food and Drug Adminstration (FDA). Desde lá, muitos aparelhos vêm surgindo e a técnica tem sido refinada, cada vez mais, para que melhores resultados sejam alcançados e a segurança do paciente seja garantida.

Logo, surgem no mercado várias opções de tratamento com Radiofrequência. Você deve se perguntar qual é a diferença entre tantos tipos de Radiofrequência. Monopolar, bipolar ou tripolar? Qual seria a melhor?

Primeiramente entenda como a onda de Radiofrequência é gerada:

  1. O equipamento é conectado a uma fonte de energia elétrica para gerar a corrente de Radiofrequência.
  2. Esta corrente penetra nos tecidos através de eletrodos de contato.
  3. A circulação da corrente entre os eletrodos é que vai aumentar a temperatura na área tratada.

As diferenças entre os tipos de Radiofrequência estão no item 2, ou seja, na configuração dos eletrodos que alteram a maneira como a corrente penetra no tecido. Então:

Radiofrequencia Monopolar

É a primeira geração de equipamentos que surgiu. A corrente é gerada e penetra na pele através de um cabeçote móvel até uma placa de retorno que é colocada em uma região distante da área de tratamento. A energia se concentra próxima ao cabeçote e diminui rapidamente com a distância chegando até uma profundidade de 6 mm. Os primeiros equipamentos combinavam juntamente com o aquecimento propriedades de resfriamento, além de utilizar anestesia tópica. Hoje em dia, com a criação de novos aparelhos, isso não é mais necessário. Um exemplo dessa modalidade é o aparelho Spectra da marca Tonederm.

 

Radiofrequência Bipolar

É a segunda geração. Nesta, os eletrodos de saída e retorno da corrente estão no próprio cabeçote. Portanto, na Radiofrequência Bipolar não é necessário a placa de retorno. A energia gerada por esse dispositivo teria um efeito mais superficial de até 2 mm de profundidade. Dessa maneira, menos corrente é requerida para atingir o mesmo efeito, pois a corrente passa através de um pequeno volume de tecido. Podemos citar como modelo da Bipolar o aparelho Accent da marca Alma Lasers.

Radiofrequência Tripolar

É a terceira geração de equipamentos desenvolvida. O desenho tripolar é baseado em três ou mais eletrodos. Como nos outros tipos de Radiofrequência, a energia é gerada quando a corrente passa entre os eletrodos. A profundidade da penetração é aproximadamente a distância média entre os três eletrodos. O aparelho Hertix, da marca KLD apresenta um cabeçote aplicador nesse modelo.

 

Portanto, o que difere entre tantos equipamentos é a configuração dos eletrodos, sendo a interação entre a corrente e o tecido similar. Ainda não encontramos estudos comparativos entre os equipamentos. Mas sabendo que todos emitem a energia de Radiofrequência, que é responsável pelas mudanças em sua pele, cabe ao profissional competente usar o aparelho da maneira adequada à disfunção e aliar outros recursos para potencializar os resultados.

As fibras colágenas são as principais e mais abundantes fibras do tecido que constitui a pele e apresentam a importante função de sustentação deste tecido.  Com o envelhecimento essas fibras vão perdendo suas características e a função de sustentação fica prejudicada.  Consequentemente ocorrem alterações degenerativas da pele como rugas, perda de luminosidade e flacidez cutânea, que não se restringe somente à face, mas também a abdome, braços, pernas, glúteos.

 

O que é a Radiofrequência?

É uma modalidade terapêutica que utiliza energia eletromagnética para aumentar a temperatura nas camadas mais profundas da pele. Esse aquecimento ocorre de forma segura e induz a formação de novas fibras de colágeno.

 

Entenda como a Radiofrequência atua no colágeno

Ação imediata: ativação do metabolismo celular e do sistema circulatório da região com retração das fibras de colágeno existentes.

Ação a longo prazo (de 2 a 6 meses): maior produção de colágeno e elastina.

 

O que você vai sentir e observar

O tratamento não é invasivo e, durante a aplicação, você sentirá apenas um aquecimento suportável na pele. Após, você irá perceber leve vermelhidão e edema, que são passageiros, em consequencia da ação imediata. Além disso, também podem ser percebidos benefícios na textura e na luminosidade da pele.

A longo prazo, percebe-se melhora no aspecto das rugas e da flacidez tecidual.

Para isso, inicialmente, recomendam-se aplicações semanais que, posteriormente, ficarão mais espaçadas. É necessário dar continuidade ao tratamento, pois o processo do envelhecimento é constante.


Anúncios
%d blogueiros gostam disto: